Arquivo da tag: Auditório Ibirapuera

Presente de Vô

Padrão

Presente de VôCirandas Guaranis, cantigas de ninar africanas, batuques aprendidos com avós do Vale do Jequitinhonha, Aleluias misturados a vozes indígenas, Tom Jobim, Chico Buarque, Gilberto Gil, Caetano Veloso e Milton Nascimento, canções do folclore português – ou recolhidas nas andanças antropológicas de Mário de Andrade – e músicas compostas originalmente para a trilha sonora de quatro histórias pra lá de fantasiosas que nos fazem olhar, com um carinho muito especial, para a nossa herança. Presente de Vô! traz ao Palco do Auditório do Ibirapuera nos dias 08 e 09 de novembro 50 artistas do Ponto de Partida e Meninos de Araçuaí.

O Musical faz parte do programa Natura Musical e comemora 15 anos de trajetória Ponto de Partida e os Meninos de Araçuaí e marca o lançamento da Coleção Presente de Vô, que reúne quatro discos com mais de 40 músicas costuradas por histórias emocionantes e participação especial do Pau Brasil – A Oficina do Cambeva, Zalém e Calunga, Temporina já foi menina?, Sonhambulantes.
A turnê de lançamento passará por cinco cidades brasileiras.

A encenação dispensa os grandes cenários, efeitos especiais e maquinarias para dar lugar ao puro faz de conta. Assim, se constrói basicamente com panos que ora são noivas, arco-íris, lembranças e também com singelos elementos de infância.

A direção musical é de Rodolfo Stroeter e Pablo Bertola e a direção geral de Regina Bertola, à frente do Ponto de Partida e dos Meninos de Araçuaí desde sua fundação.

Onde? Auditório Ibirapuera – Av. Pedro Alvares Cabral, s/n – Portão 2 do Parque do Ibirapuera
Quando? 8 e 9 de novembro 2013 (sexta-feira e sábado) ás 21h
Quanto? R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
Classificação indicativa: livre para todos os públicos
Duração: 90 minutos (aproximadamente)
Capacidade: 800 lugares
Informações: 11.3629-1075

Fabiana Cozza em Canto Sagrado

Padrão

1

Fabiana Cozza se apresenta nos dias 2 e 3 de agosto no Auditório do Ibirapuera para gravação do DVD Canto Sagrado – 70 Anos de Clara Nunes.

No repertório diferentes fases da Cantona, releitura de clássicos como “Conto de Areia, “Canto das Três Raças “Meu Sapato Já Furou” e “Portela na Avenida”. Canto Sagrado foi idealizado por Fabiana Cozza, em parceria com a atriz Olívia Araújo e o bailarino e coreógrafo JC Viola. A apresentação conta ainda com sete músicos e a direção musical do baixista André Santos.

Ingressos para hoje dia 02 já estão esgotados.

 

 

Quando: sexta 2 e sábado 3 de agosto às 21h
Onde: Auditório Ibirapuera – Av: Pedro Álvares Cabral,s/n° – Parque Ibirapuera
Quanto? R$ 20 e R$ 10 (meia-entrada)
Livre para todos os públicos
Duração: 90 minutos (aproximadamente)
Informações: 3629-1075

Cópia restaurada de Nosferatu na área externa do Auditório Ibirapuera

Padrão

A 36ª Mostra Internacional de Cinema de São Paulo comemora o 90º aniversário de Nosferatu(1922), clássico mudo dirigido por F.W. Murnau, com projeção ao ar livre de cópia restaurada do filme na área externa do Auditório Ibirapuera. A exibição será acompanhada por trilha composta por Pierre Oser, maestro alemão que vem a São Paulo para reger a Orquestra Petrobras Sinfônica e o Coro Projeto X, em execução ao vivo de sua partitura.

Apesar de não autorizada, Nosferatu é a primeira adaptação do romance Drácula, de Bram Stoker, para o cinema. Murnau ignorou a negativa da viúva do escritor irlandês, Florence, de lhe conceder os direitos da obra, alterou os nomes dos personagens e prosseguiu com o projeto do filme. Na história, o agente imobiliário Hutter viaja até os Cárpatos para visitar um novo cliente, o excêntrico Conde Orlok. Aos poucos, ele descobre que Orlok é um vampiro. Antes que Hutter o impeça, Orlok consegue se mudar para Winsborg, onde Hutter mora com sua esposa Ellen. O vampiro espalha praga e morte pelo povoado até Ellen notar que ele sente uma forte atração por ela. Ao contrário de outros vampiros, Orlok tem sombra – como se vê na cena incansavelmente reproduzida em que o conde sobe as escadas para possuir Ellen.

A restauração da cópia que vem a São Paulo foi realizada entre 2005 e 2006 por Luciano Berriatúa para a Fundação Friedrich-Wilhelm-Murnau, com base uma cópia de 1922, com os intertítulos e coloração original. O processo de restauração digital possibilitou a manutenção dos intertítulos originais, o que os diferencia das versões anteriores do filme, nas quais estes foram refeitos. O cuidado a recuperação da obra ainda inclui a eliminação de riscos, rasgos e arranhões, assim como o balanceamento de luz e densidade, trabalho feito manualmente, quadro por quadro, imagem por imagem.

Nosferatu no Ibirapuera
Quando? Sexta-feira, 2 de novembro, às 20h
Onde? Área externa do auditório do Ibirapuera
Grátis

Moraes Moreira e Jazz Sinfônica no Auditório Ibirapuera

Padrão

É impossível contar a história da música brasileira sem citar os Novos Baianos e, por sua vez, Moraes Moreira, ex-integrante do grupo. Versátil, o cantor e compositor mistura em seu repertório diferentes ritmos como frevo, baião, samba, choro, rock e até música erudita. É a partir desta diversidade que o músico se apresenta com a Jazz Sinfônica nos dias 26 e 27 de outubro, no Auditório Ibirapuera, na sétima edição da série Jazz+.

As apresentações serão regidas pelo maestro Fábio Prado. No programa, a mistura entre composições consagradas de Moreira e novidades de seu último álbum “A Revolta dos Ritmos” está garantida. Obras de outros artistas brasileiros completam o programa, que começa com “Festa em Nevoeiro”, de Rodrigo Morte, seguida por “Choro Negro”, de Paulinho da Viola.

Clássicos como “Acabou Chorare” e “Preta Pretinha”, lançados pelos Novos Baianos nos anos 70, também são interpretados pelos músicos. O toque de atualidade fica por conta das novas canções “Cuidado Moreira”, com arranjos de Maurício de Souza, “Brasileira Academia” e “Feito Jorge Ser Amado”, arranjadas por Rodrigo Morte.

Jazz + Moraes Moreira
Quando? 26 e 27 de outubro, às 21h
Onde? Auditório do Ibirapuera
Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia-entrada)

OSESP faz apresentação no Auditório Ibirapuera

Padrão

A Osesp realizará no próximo domingo, 15 de julho, um concerto gratuito na plateia externa do Auditório Ibirapuera, a partir das 11 horas. Na ocasião, será apresentado parte do repertório que estará em agosto no festival de música erudita BBC Proms, em Londres.

No programa a orquestra interpretará três obras que trazem o diálogo entre as tradições populares e as propostas formais da música erudita. A primeira obra será “Estância”, do argentino Alberto Ginastera. Formada por quatro danças de caráter vertiginoso, a peça traz as memórias das visitas do compositor aos pampas, quando menino, e narra o ciclo completo do dia de trabalho de um gaúcho.

Em seguida, o pianista Nelson Freire sobe ao palco para tocar com os músicos, de Villa-Lobos, o “Momoprecoce – Fantasia Para Piano e Orquestra”, uma versão ampliada da suíte para piano solo, “Carnaval das Crianças”. Peça de orquestração brilhante, traz o piano sempre envolvido pela orquestra.

A “Sinfonia nº 9”, de Dvorák, apelidada de “Novo Mundo”, encerra o concerto. De caráter dramático e monumental, é uma das mais populares do compositor tcheco e reflete as emoções e experiências que ele viveu no período em que morou nos EUA.

OSESP
Quando? Domingo, 15 de julho, às 11h
Onde? Auditório Ibirapuera (plateia externa) – Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº, portão 2
Grátis

Cantata Cênica “O Diário de Anne Frank” no Auditório do Ibirapuera

Padrão

Até o início de julho a cena cultural paulistana estará recebendo eventos gratuitos de cinema, artes gráficas e música erudita que retratam, de forma artística, o impacto de movimentos políticos, como a ditadura e o holocausto, na vida e sociedade contemporânea.

Como parte da programação, o Auditório do Ibirapuera recebe de 29 de junho a 1º de julho a Cantata Cênica de Leopoldo Gamberini (1922-2012), baseada no Diário de Anne Frank, em sua primeira montagem na América Latina.

Composta em 1958, com a colaboração do pai da protagonista, Otto Frank, a obra é narrada pelo coro, que prepara as cenas descritas e contadas pela própria Anne, e interpretada pelas solistas – soprano, violoncelista e dançarina.

A ambientação da guerra – com bombardeios e os sinos das igrejas que eram, para Anne no campo de concentração, ouvidos como um sinal de vida – surge em efeitos de música eletrônica baseada em gravações originais da época.

Com acompanhamento de orquestra sinfônica, a obra possui uma escritura típica italiana do pós-guerra e linguagem contemporânea, de grande impacto emotivo e sonoro.

A montagem reúne o Coro Luther King e a Orquestra Sinfônica de Campinas, sob a direção do maestro Martinho Lutero Galati de Oliveira. Interpretando Anne Frank, as sopranos Olga Sober e Patrizia Zanardi, a violoncelista Yuriko Mikami e a dançarina Clarisse Abujamra. A coreografia é de Marika Gidali e Décio Otero, e Naum Alves de Souza assina a direção cênica.

Cantata Cênica – O Diário de Anne Frank
Onde? Auditório do Ibirapuera, Av. Pedro Álvares Cabral, s/nº – Portão 2
Quando? 29 de junho a 1º de julho – sexta e sábado, às 21h, domingo, às 19h
Grátis

Conexão Cult no show do Chico César

Padrão

Na última sexta-feira, 1º de junho a equipe do Conexão Cult acompanhou no Auditório do Ibirapuera o lançamento do novo DVD de Chico César, intitulado Aos Vivos Agora e que traz uma releitura do primeiro trabalho do cantor, gravado em 1994.

No palco, Chico César dividiu o espaço com Dani Black, convidado para tocar violão, guitarra e fazer os vocais que, no disco original, estavam a cargo de Lenine e Lanny Gordin. Durante o show, sucessos como Mama África e A Primeira Vista animaram o público.

Detentor de diversos prêmios da música, como o Revelação do Prêmio Sharp/1995 e Melhor Compositor pela APCA/1996, em 2012 a trilha sonora que ele fez para a peça As Feiosas, concorreu ao Prêmio Femsa. Chico é o primeiro secretário de cultura do estado da Paraíba, cargo no qual, além de estruturar a nova secretaria, procura criar uma política de cultura em seu Estado e incentivar a implementação do Sistema Nacional de Cultura.

Confira as fotos: