Arquivo da tag: Cinemateca Brasileira

São Paulo recebe 2ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental

Padrão

MostraEcofalante2Uma discussão sobre o meio ambiente e a relação entre o homem e a natureza através de debates e da exibição de mais de 70 filmes de 20 países, a maioria inéditos no Brasil – este é o cardápio da 2ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental, que acontece, com entrada franca, de 23 a 30 de maio, em seis salas paulistanas: Reserva Cultural, Cine Livraria Cultura, Cinemateca Brasileira, Centro Cultural São Paulo, Cine Olido e no novo Cinusp Maria Antônia.

De caráter não-competitivo, o evento tem sua programação principal organizada em sete eixos temáticos (Água, Cidades, Contaminação, Economia, Globalização, Mobilização e Povos e Lugares), além de uma retrospectiva histórica e de uma homenagem ao cineasta e diretor de fotografia Aloysio Raulino.

A abertura do evento vai contar com a exibição de “Mais que Mel”, do cineasta suíço Markus Imhoof. Inédito no Brasil, o filme propõe uma viagem ao redor do mundo para conhecer as pessoas que vivem com e das abelhas: produtores de amêndoa da Califórnia, um apicultor das montanhas suíças, um neurocientista alemão investigando o cérebro das abelhas, um negociante de pólen na China, e pesquisadores de abelhas na Austrália.

Confira a programação em: http://www.ecofalante.org.br/mostra/

2ª Mostra Ecofalante de Cinema Ambiental
Quando? De 23 a 30 de maio de 2013
Onde? Reserva Cultural – Av. Paulista 900, Bela Vista
Cine Livraria Cultura – Av. Paulista 2073, Cerqueira Cesar
Cinemateca Brasileira – Largo Senador Raul Cardoso 207, Vila Clementino
Centro Cultural São Paulo – Rua Vergueiro 1000, Liberdade
Cine Olido – Av. São João 473, Centro
Cinusp Maria Antônia – Rua Maria Antônia 294, Consolação
Grátis

Festival de Cinema de Direitos Humanos

Padrão

Começa em 22 de novembro a 7ª edição da Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul, que até 20 de dezembro irá passar por 26 capitais do país e também pelo Distrito Federal.

Nesta edição, a mostra presta uma homenagem a Eduardo Coutinho. Considerado um dos mais importantes documentaristas da atualidade, seu trabalho é reconhecido pela sensibilidade e pela capacidade de ouvir o outro, registrando sem sentimentalismos as emoções e aspirações das pessoas comuns. Estão programados o clássico “Cabra Marcado Para Morrer” (1984), premiado no Festival de Berlim, “Santo Forte” (1999), um mergulho na intimidade de católicos, umbandistas e evangélicos de uma favela carioca, e “O Fio da Memória” (1991), mosaico sobre a experiência negra no Brasil a partir da figura de um artista popular. Coutinho tem encontro com o público no dia 24/11, sábado, às 16h30, na Cinemateca Brasileira (São Paulo).

A programação traz ainda uma série de títulos inéditos no circuito comercial, como os longas-metragens “Hoje”, de Tata Amaral, e “O Dia Que Durou 21 Anos”, de Camilo Tavares. Também inédito comercialmente no país, o colombiano “Chocó”, de Johnny Hendrix Hinestroza, foi lançado pelo Festival de Berlim deste ano e transformou-se em grande sucesso de público: meio milhão de pessoas assistiram ao filme na Colômbia. A obra destaca os problemas do desemprego, do desalojamento e da violência doméstica.

Com sua estreia mundial também promovida pelo Festival de Berlim, o indicado oficial pelo Uruguai ao Oscar de Filme Estrangeiro “A Demora” mostra uma mulher, de família pobre, que não consegue internar seu idoso pai em um asilo e acaba tomando uma atitude drástica. Assinado pelo cultuado diretor Rodrigo Plá, o longa é inédito nas salas brasileiras.

Já “Batismo de Sangue”, dirigido por Helvécio Ratton, trata da participação de frades dominicanos na luta clandestina contra a ditadura militar brasileira, no fim dos anos 1960. Adaptado do livro homônimo de Frei Betto, vencedor do prêmio Jabuti, o filme foi vencedor dos prêmios de melhor direção e melhor fotografia no Festival de Brasília e tem no elenco Caio Blat, Daniel de Oliveira, Cássio Gabus Mendes e Ângelo Antônio.

Toda a programação pode ser consultada em: http://www.cinedireitoshumanos.org.br/2012/

7ª Mostra Cinema e Direitos Humanos na América do Sul
Onde? Cinemateca Brasileira – Largo Senador Raul Cardoso, 207 e CineSesc – Rua Augusta, 2075
Quando? 22 a 29 de novembro
Grátis

Esporte Olímpico brasileiro é tema de mostra na Cinemateca

Padrão

A Cinemateca Brasileira inicia na sexta-feira, 20 de julho, a exibição de uma série de documentários sobre a história do Brasil e seus atletas nos jogos olímpicos.

Serão exibidos os dez filmes produzidos pela primeira edição do Memória do Esporte Olímpico Brasileiro com o objetivo de promover o resgate da história dos grandes esportistas que representaram o Brasil nos jogos. A programação contará ainda com um encontro com os cineastas Ugo Giorgetti e José Roberto Torero, diretores de dois dos filmes em exibição.

As inscrições para a segunda edição do Memória do Esporte Olímpico Brasileiro estão abertas e vão até o dia 24 de setembro pelo site www.memoriadoesporte.org.br. A seleção pública é aberta a qualquer produtora de vídeo do Brasil cadastrada na Ancine. As nove vencedoras receberão 230 mil reais cada uma para produzir filmes com 26 minutos de duração. Além destes nove documentários, a cineasta Laís Bodanzky foi convidada para dirigir um longa-metragem. O projeto já tem sua realização garantida, pelo menos, até as Olimpíadas de 2016, que serão realizadas no Rio de Janeiro.

Memória do Esporte Olímpico Brasileiro
Onde? Cinemateca Brasileira – Largo Senador Raul Cardoso, 207 – Vl. Mariana
Quando? 20 a 22 de julho
Grátis

7º Festival de Cinema Latino-Americano

Padrão

“O garoto que mente”, de Marité Ugas é um dos destaques do Festival

Entre 12 e 19 de julho acontece a sétima edição do Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo reúne as novidades da cinematografia da região, trazendo obras inéditas no Brasil e selecionadas – algumas delas premiadas – em importantes festivais como Berlim, Cannes, Havana, entre outros.

A programação do evento reúne trabalhos recentes de alguns dos mais importantes nomes da cinematografia atual da América Latina, como o uruguaio Pablo Stoll (3), o argentino Rodrigo Moreno (Um Mundo Misterioso), o chileno Cristián Jiménez (Bonsai), o equatoriano Sebastián Cordero (Pescador) e a peruana Claudia Lllosa (Loxoro).

Estão presentes obras lançadas pelo Festival de Berlim (O Garoto Que Mente, da venezuelana Marité Ugas), Cannes (Porfírio, do colombiano Alejandro Landes) e Toronto (O Circuito de Román, do chileno Sebastián Brahm), entre outras vitrine cinematográficas de prestígio internacional.

Merece destaque ainda o divertido cubano Juan dos Mortos (de Alejandro Brugués), no qual zumbis dominam uma semidestruída cidade de Havana, e De Pernas Para o Ar (do venezuelano Alejandro García Wiedemann), que tem sua première internacional no 7º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo.

Diversos títulos programados são inéditos no Brasil, como é o caso do road movie mexicano Um Mundo Secreto, programado para a sessão de abertura do Festival. Seu diretor, o estreante Gabriel Mariño, é um dos muitos convidados que têm presença confirmada no evento.

O Brasil está representado, entre outros títulos, por Hoje, de Tata Amaral, melhor longa do Festival de Brasília 2011, Rânia, de Roberta Marques, vencedor da mostra Novos Rumos, da Première Brasil do Festival do Rio, e pelo curta Até A Vista, de Jorge Furtado.

O circuito de exibição em 2012 compreende o Memorial da América Latina, Cinesesc, Cinemateca Brasileira e Cinusp Paulo Emílio, onde serão exibidos 75 filmes, sempre com entrada franca. Além disso, mais de 30 convidados internacionais circularão durante o evento.

7º Festival de Cinema Latino-Americano de São Paulo
Quando? 12 a 19 de julho de 2012
Onde? Memorial da América Latina – Av Auro S. de Moura Andrade 664, Barra Funda / Cinesesc – Rua Augusta 2075 / Cinemateca Brasileira – Largo Senador Raul Cardoso 207 / Cinusp Paulo Emílio – Rua do Anfiteatro 181 favo 4, Cidade Universitária
A programação pode ser consultada em: http://www.memorial.org.br
Grátis

7ª Mostra Mundo Árabe de Cinema

Padrão

A 7ª edição da Mostra Mundo Árabe acontece entre 25 de junho e 10 de julho em três salas de cinema de São Paulo: CineSESC, Cinemateca e Cine Olido. O evento tem a perspectiva de mostrar ao público brasileiro a diversidade cultural, social e política existente entre os 22 países de língua árabe.

Neste ano, o evento homenageia o professor Aziz Ab’Saber, falecido recentemente, e exibe 32 filmes, entre longas-metragens e documentários, que retratam a realidade política, social e cultural dos países árabes, além de obras brasileiras com temáticas relacionadas à imigração árabe no Brasil ou à relação do Brasil com os países árabes e muçulmanos.

Promovido pelo Instituto da Cultura Árabe, contará com documentários como “Amor Abortado” e ficções como “O Atirador” e “Estrelas em Plena Luz do Dia”, que abordam a realidade política, social e cultural dos países árabes. Outro destaque é o lançamento do longa “Constantino”, do brasileiro Otávio Cury. O público também terá a chance de ver também filmes brasileiros com temáticas relacionadas à imigração árabe no Brasil, além de obras sobre a relação entre Brasil e povos árabes.

Veja a programação completa da mostra aqui!

Mazzaropi na Cinemateca!

Padrão

Eternizado no cinema brasileiro durante a década de 1970 na figura do “Jeca”, Mazzaropi ganha uma homenagem ao seu centenário de nascimento na Cinemateca Brasileira, onde uma mostra vai reunir os principais títulos da filmografia do ator.

Sempre encarnando tipos populares – do motorista de caminhão ao malandro Pedro Malazartes, passando por engraxate, cangaceiro, torcedor fanático ou pai de família conservador – foi como o caipira do interior paulista que Mazzaropi eternizou-se no imaginário brasileiro.

Mazzaropi arrebatou o público em comédias que dialogavam com os espetáculos populares que desde a infância o encantavam, como o circo-teatro e a música caipira, e em filmes que tratavam de problemas concretos para suas plateias – o conflito entre o caipira e a cidade, questões agrárias e raciais, modernização e atraso, cangaço, mudanças de comportamento, etc. Em alguns momentos, também recorreu aos expedientes da paródia, satirizando gêneros narrativos como o policial e o western, numa estratégia semelhante a das chanchadas da Atlântida.

Depois de obter sucesso protagonizando filmes pela Vera Cruz, pela Cinedistri, entre outras empresas, montou sua própria produtora em 1958, a PAM Filmes (Produções Amácio Mazzaropi), e instalou na cidade de Taubaté, antigo reduto de sua família, um estúdio de proporções industriais – ao menos para o contexto brasileiro da época. Além disso, também assumiu a distribuição de suas fitas e organizou uma estratégia eficiente de fiscalização das bilheterias.

Entre os títulos a serem apresentados na Cinemateca estão: Sai da Frente, Nadando em Dinheiro, Chofer de Praça, Jeca Tatu, Um Caipira em Bariloche, O Corintiano, O Puritano da Rua Augusta, entre outros. Para conferir a programação completa, clique aqui.

Centenário de Mazzaropi
Onde? Cinemateca Brasileira – Largo Senador Raul Cardoso, 207
Quando? 3 a 15 de abril
Ingressos: R$ 8,00

Mostra sobre Marilyn Monroe será inaugurada em março

Padrão

A exposição Quero Ser Marilyn Monroe! chega a São Paulo só em março, mas já há gente querendo fazer fila na porta da Cinemateca Brasileira. Isso porque é a primeira vez que a maior e mais completa exposição sobre a grande diva do cinema americano vem ao Brasil e em curta temporada.

O evento, que marcará o cinquentenário da morte da musa, acontecerá na Cinemateca, do dia 4 de março a 1o de abril, com entrada gratuita ao público. A exposição chega ao Brasil após grande sucesso de público nos principais museus da Europa, Estados Unidos e Canadá.

A exposição traz 125 obras de vários artistas consagrados como Andy Warhol, Allen Jones, Peter Blake, Richard Avedon, Henri Cartier-Bresson, entre outros. A ideia do evento é contar por meio de pinceladas, imagens e filmes trechos da vida da diva, em estilos que variam da fotografia fashion ao Pop Art.

Documentando a trajetória icônica da sex symbol favorita do cinema, a exposição revela facetas de uma das mulheres mais famosas e intrigantes do mundo, inclusive com uma releitura da frágil vulnerabilidade da grande musa.

A exposição começa com a famosa Red Velvet Pose, de Tom Kelley, para a Playboy e continua entre os lençóis da cama de One Night with Marilyn, do fotógrafo Douglas Kirkland. Inclui Marylin em Here’s to You com champagne em mãos celebrando seu retorno a Hollywood.

Momentos memoráveis da carreira da diva serão retratados tais como a famosa cena sobre a grade de ventilação do metrô, com Thomas Ewell, em Seven Year Itch, de Sam Shaw, e também fotografias tiradas nos bastidores em Misfits, de Ernst Haas.

Além da exposição de obras de arte, haverá ao longo de todo o período uma mostra de cinema com os principais filmes da atriz: O Inventor da Mocidade (Howard Hawks) – 1952; Quanto Mais Quente Melhor (Billy Wilder) – 1959; A Malvada?(Joseph L. Mankiewicz) – 1950; Os Desajustados (John Huston) – 1961; O Pecado Mora ao Lado (Billy Wilder) – 1955; Os Homens Preferem as Louras (Howard Hawks) – 1953; Torrentes de Paixão (Henry Hathaway) – 1952.

Quero ser Marilyn Monroe!
Onde? Cinemateca Brasileira – Largo Senador Raul Cardoso, 207, São Paulo
Quando? 4 de março a 1º de abril
Grátis