Arquivo da tag: São Paulo

João Bosco na Caixa Cultural

Padrão

joão boscoO cantor, compositor e instrumentista João Bosco faz uma breve temporada de quatro shows na Caixa Cultural, com entrada gratuita. As apresentações acontecem nos dias 13, 14 e 15 de junho, às 2oh, e no dia 16, às 18h, e os ingressos devem ser retirados com uma hora de antecedência.

João Bosco interpreta clássicos de seus 40 anos de carreira, como “O Bêbado e o Equilibrista”, “Papel Machê”, “Bala com Bala”, “Jade” e “Corsário”. Canções de seu mais recente CD e DVD “40 anos depois” também integram o repertório.

O público ainda pode conferir composições do trabalho “Não Vou Pro Céu, Mas Já Não Vivo no Chão”, primeiro disco de músicas inéditas do artista após seis anos. O álbum marca a retomada com Aldir Blanc, parceiro em mais de uma centena de músicas desde os anos 1970.

Entre os destaques estão “Mentiras de Verdade”, “Jimbo no Jazz”, “Plural Singular”, “Ingenuidade” e “Alma Barroca”. Em “Não Vou Pro Céu, Mas Já Não Vivo no Chão”, João Bosco também faz parceria com Carlos Rennó, Francisco Bosco e Nei Lopes.

Fonte: Catraca Livre

João Bosco
Onde? Caixa Cultural – Praça da Sé, 111 – 8º andar
Quando? 13 a 15 de junho
Grátis – Retirar ingressos com uma hora de antecedência

Anúncios

Espetáculo “Elvis in concert” volta a SP

Padrão

elvis in concertEm outubro o espetáculo “Elvis in Concert” terá uma nova temporada na capital paulista. Visto por cerca de 50 mil pessoas no Brasil em 2012, a superprodução reúne no palco do Ginásio Ibirapuera, nos dias 25 e 26 de outubro, uma banda composta por vários músicos, que já trabalharam com Elvis. A apresentação conta com projeções remasterizadas em telões de alta definição, com imagens de shows do cantor.

A ideia é fazer com que o público se sinta em um show “ao vivo” do eterno “rei do rock” mundial. O espetáculo terá cinco canções novas. Além de São Paulo, o show passará por Recife, Brasília, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Curitiba e Porto Alegre.

Elvis in Concert
Quando? 25 e 26 de outubro, às 21h
Onde? Ginásio do Ibirapuera – r. Manoel da Nóbrega, 1361
Ingressos: R$ 180,00 a R$ 1600,00

Vai passar o Carnaval em São Paulo? Veja a programação dos blocos e caia na folia!

Padrão

logo_carnaval_sp_580_1Quem estiver na capital paulista durante o Carnaval não terá desculpas para não cair na folia. Além dos desfiles das escolas de samba, diversos bailes, shows e blocos garantem a folia na cidade. Confira:

Bloco Afro Ilú Obá de Min
O bloco sempre sai às ruas espalhando o som do axé. Neste ano, o tema é “As Yabás e as Deusas do Axé”, com homenagem aos orixás femininos. O figurino dourado dos músicos da bateria faz referência a Oxum, deusa da riqueza e da beleza.

Viad. Major Quedinho, s/nº, região central, tel. 3222-5566. Sex.: 21h (concentração a partir das 19h30). Livre. Grátis.

Bloco Cordão do Triunfo – Cia. Pessoal do Faroeste
O bloco Cordão do Triunfo se uniu à companhia teatral Pessoal do Faroeste para comemorar o Carnaval de um jeito diferente. Atores, inclusive Mel Lisboa, encenam trechos da peça “Cine Camaleão, a Boca do Lixo” pelas ruas do centro da cidade.

Sede Luz do Faroeste – r. do Triunfo, 305, Santa Efigênia, região central, tel. 3362-8883. Dom.: 16h (concentração a partir das 14h). Livre. Grátis.

Bloco dos Esfarrapados
Inspirados em desfiles de escolas de samba, porém em clima mais informal e improvisado, os foliões ocupam o centro atrás do bloco que, fundado em 1947, clama pelo título de “mais antigo do Brasil”.

Concentração e dispersão: r. Cons. Carrão, 466, Bela Vista, região central, tel. 99976-3184. 5.000 pessoas. Seg.: 14h (concentração a partir das 12h). Até 11/2. Livre. Grátis.

Bloco Jegue Elétrico
O bloco surgiu no Carnaval de 2000 baseado em festas do Nordeste e, desde então, sai às ruas todos os anos. Os foliões seguem, no sábado (dia 9) e no domingo (10/2), um circuito em Pinheiros, com começo e fim na praça Benedito Calixto. Já na segunda (11/2), eles se aventuram pelas ruas do centro, tendo a praça Roosevelt como ponto de partida e chegada. É o primeiro bloco a lançar um CD autoral, chamado “Dê para Quem Tem Fome”, que conta com as participações de Otto e Andréia Dias.

R. Lisboa, c/ r. Teodoro Sampaio, Cerqueira César, região oeste, tel. 99126-5188. Sáb. e dom.: 19h30 (concentração a partir das 16h30). Livre. Grátis.

Bloco João Capota na Alves
O bloco surgiu em 2008 e recebeu este nome para homenagear as ruas João Moura, Capote Valente e Alves Guimarães, em Pinheiros, onde moravam os estudantes que o fundaram. O grupo se reúne no viaduto da Oscar Freire, próximo à estação Sumaré de metrô, para tocar uma bateria animada. Lá, vale de tudo -o único requisito é ir fantasiado.

Viad. Oscar Freire, s/no, região oeste, s/ tel. Sáb.: 14h (concentração a partir das 13h). Livre. É necessário ir fantasiado. Mais informações p/ facebook.com/blocodojoao. Grátis.

Bloco Vai Quem Quer
O grupo completa 33 anos de Carnavais na Vila Madalena. O bloco, obviamente tradicional no bairro, é conhecido por ser o único a desfilar por ali em todos os dias do feriado. Em 2013, o circuito começa na praça Benedito Calixto e passa pelo coração da Vila Madalena, em ruas como Mourato Coelho, Aspicuelta e Fradique Coutinho.

Pça. Benedito Calixto, s/nº, Pinheiros, região oeste, s/ tel. Seg., ter., sáb. e dom.: 20h. Até 12/2. Livre. Grátis.

Cordão Cecília
A quarta edição do cortejo promovido pela Associação Cultural Cecília ocupa as ruas da região central no sábado (dia 9). O Carnaval nas ruas de Santa Cecília acontece dentro da entidade e na rua, onde a Banda Periculina mescla brega e axé em repertório de tons momescos. http://www.cecilia.org.br

Associação Cultural Cecília – r. Vitorino Carmilo, 449, Barra Funda, tel. 3667-0262. Concentração, sáb.: 15h. Desfile, sáb.: 16h. Banda Periculina, sáb.: 18h. Até 9/2. Livre. Grátis.

Saci da Bixiga
Apesar de ter apenas três anos, o bloco já conseguiu reunir, no ano passado, cerca de 3.000 foliões no Bexiga. Neste ano, as marchinhas entoadas pelo bloco (grande parte das músicas é de autoria dos próprios foliões) seguem o tema “O Poder Popular Contra a Opressão Social”.
http://www.culturalatiamerica.blogspot.com.br

R. São Domingos, esq. c/ r. da Abolição, Bela Vista, região central, tel. 3104-7401. 3.000 pessoas. Sáb.: 20h (concentração a partir das 18h). Livre. Grátis.

Comemore a chegada do Ano Novo Chinês!

Padrão

ano novo chinêsPelo oitavo ano consecutivo, São Paulo comemora a entrada do Ano Novo Chinês. A comemoração que acontece amanhã e domingo, 2 e 3 de fevereiro, deve reunir mais de 150 mil pessoas atraídas pela culinária e pela diversificada programação cultural. A festa marca o inicio do Ano da Serpente que promete ser um ano de boas oportunidades e de superação.

Colorida e movimentada, a festa ocupa a Praça da Liberdade e a Rua Galvão Bueno. Nos dois dias serão apresentadas diversas manifestações da cultura do país oriental, como as tradicionais danças do dragão e do leão, lutas marciais, atrações musicais e até mini-aulas de feng shui. Além disto, barraquinhas montadas ao longo da Galvão Bueno trarão um pouco da culinária, artesanato e outras atrações da cultura chinesa.

No sábado, abrindo a programação, acontecerá um desfile de academias de artes marciais, a partir das 11h45. Nesse momento, acontecerão as danças do dragão e do leão, sendo um dos pontos altos da festa. No primeiro dia, a festa termina por volta das 20h, com uma grande queima de fogos. A programação no domingo começa um pouco mais cedo, às 11h e deve acabar por volta das 19h.

Comemorações na Ásia
O Ano Novo Chinês é o feriado mais importante em toda a Ásia. No período dos festejos, o país para por quinze dias para os preparativos, viagens e rituais que marcam a passagem do ano. Geralmente, são realizados grandes banquetes em casa ou em restaurantes e, nestes jantares, é comum uma grande variedade de pratos, muitos à base de peixe, símbolo da fartura.

É uma época também que muitos voltam para suas cidades de origem para visitar parentes e amigos, levando presentes e os tradicionais envelopes vermelhos – o hong bao – que contêm dinheiro. O momento mais esperado da comemoração é a queima de fogos de artifício que, acreditam, atrai sorte e espanta as energias negativas.

Mostra resgata origens do fotojornalismo no Brasil

Padrão

OCruzeiroEstá em cartaz no Instituto Moreira Salles de São Paulo a mostra “As origens do fotojornalismo no Brasil: um olhar sobre O Cruzeiro (1940-1960)”, que apresenta ao público mais de 400 imagens e matérias que revelam a história da principal revista ilustrada brasileira do século XX, e que foi decisiva para a implantação do fotojornalismo no país.

A exposição tem como fio condutor a relação entre as imagens produzidas pelos fotógrafos e as fotorreportagens tal como foram publicadas. Essa abordagem tem como foco as décadas de 1940 e 1950, período de maior atividade e difusão da revista. A curadoria da mostra é da professora e curadora do Museu de Arte Contemporânea da USP, Helouise Costa, e de Sergio Burgi, coordenador de fotografia do Instituto Moreira Salles. A mostra ficou em cartaz no IMS-RJ entre julho e outubro deste ano e segue para Poços de Caldas depois de passar por São Paulo.

Na exposição, serão apresentadas algumas das contribuições de Jean Manzon, José Medeiros, Peter Scheier, Henri Ballot, Pierre Verger, Marcel Gautherot, Luciano Carneiro, Salomão Scliar, Indalécio Wanderley, Ed Keffel, Roberto Maia, Mário de Moraes, Eugênio Silva, Carlos Moskovics, Flávio Damm e Luiz Carlos Barreto.

Publicada pelos Diários Associados, empresa de comunicação pertencente a Assis Chateaubriand, a revista O Cruzeiro foi lançada em 1928 como uma publicação semanal de variedades, de circulação nacional. Tornou-se um dos mais influentes veículos de comunicação de massa que o país já conheceu. No início da década de 1940, incorporou o modelo da fotorreportagem, tornando-se pioneira na implantação do fotojornalismo no Brasil.

As origens do fotojornalismo no Brasil: um olhar sobre O Cruzeiro (1940-1960)
Onde? Instituto Moreira Salles – Rua Piauí, 844, 1º andar
Quando? Até 31 de março – Terça a sexta, das 13h às 19h, sábados, domingos e feriados, das 13h às 18h
Grátis

Fotos de Claudia Andujar cobrem o centro de São Paulo

Padrão

Desde o último sábado, 3 de novembro, as fotografias da artista Claudia Andujar – conhecida por no final da década de 1970 dedicar-se exclusivamente à luta pela preservação do povo Yanomami – estão expostas em dimensões gigantescas no Prédio Histórico dos Correios, centro de São Paulo. A instalação que recebeu o nome de Sonho Verde Azulado tem curadoria de Eduardo Brandão e conta com quatro imagens que juntas somam 1200 m². Além disso, uma foto com 270 m² será exposta no prédio vizinho. A instalação faz parte do projeto Cidade galeria que consiste em uma plataforma de várias ações multimídia que tem como propóstio levar arte para fora dos museus e galerias. Sonho Verde Azulado e vai permanecer até novembro do ano que vem.

A equipe do Conexão Culto foi conferir a abertura da mostra. Veja a galeria de fotos!

Este slideshow necessita de JavaScript.

* Crédito das imagens: Mônica Bento

 

Galeria Olido exibe mostra sobre as salas de cinema de SP

Padrão

Os cinemas de shopping substituíram praticamente todas as salas de rua existentes na cidade antigamente. Para acompanhar o início dessa trajetória, o corredor da Galeria Olido exibe a exposição “Salas de Cinema em São Paulo: 1895-1929”, que fica em cartaz até o próximo domingo, 4 de novembro.

Traçando um panorama inédito sobre esses espaços durante três décadas marcadas pelo cinema silencioso, a mostra reúne cerca de 200 documentos, entre projetos de salas de exibição, fotografias, anúncios na imprensa e maquetes física e virtual do Cine Teatro República. Com curadoria de José Inácio de Melo Souza, a exposição está organizada em três núcleos temáticos.

O primeiro apresenta imagens sobre o aparecimento do cinema na cidade. No segundo painel, são enfocadas as salas de bairro que surgiram na cidade entre 1909 e 1916. O terceiro concentra-se no surgimento de grandes cinemas na década de 20, precursores dos “palácios cinematográficos” que surgiram a partir da década de 1930.

Salas de Cinema em São Paulo: 1895-1929
Onde? Galeria Olido – Av. São João, 473
Quando? Até 4 de novembro
Grátis